Detetive particular X Detetive Policial: qual a diferença?

Detetive particular X Detetive Policial: qual a diferença?

Embora a profissão de detetive particular tenha sido reconhecida no Brasil, há quem confunda esse tipo de serviço com a investigação policial. Contudo, é importante destacar que se trata de investigações completamente distintas.

Desse modo, separamos alguns pontos para esclarecer as diferenças existentes entre essas duas funções.

O QUE FAZ UM DETETIVE PARTICULAR?
Vale ressaltar que conforme a lei, os detetives particulares possuem algumas restrições na hora de apurar um fato. Diferente dos investigadores policiais, não podem investigar nenhum caso de natureza criminal.

Além disso, seu trabalho é feito de forma independente, autônoma ou em uma agência especializada no ramo. Entre os serviços mais procurados dentro desse setor profissional, está casos de investigação familiar, conjugal e empresarial. Ou seja, o detetive particular é responsável por desvendar casos pessoais.
E O DETETIVE POLICIAL?

Bom, ele trabalha exclusivamente para Polícia Civil. Com autoridade para dar cumprimento a mandados de prisão e de busca e apreensão, atua em casos mais complexos, de origem criminal ou infrações administrativas. Estupros, homicídios e tráfico de drogas são apenas alguns exemplos. O detetive policial tem o prazo de um mês para levantar provas e encontrar testemunhas, prazo que pode ser prolongado ao decorrer das situações.

Mas você sabia que o detetive particular pode trabalhar em uma investigação policial quando solicitado? É isso mesmo, em muitos casos, o Civil recorre aos serviços de um detetive particular para juntos obterem resultados mais rápidos e bem sucedidos.

O QUE PRECISA PARA SER UM INVESTIGADOR POLICIAL NO BRASIL?
A seleção é feita por etapas. Antes de tudo, é obrigatório passar pelo concurso público e se candidatar para o cargo de investigador da Polícia Civil ou até mesmo perito criminal. Geralmente, existem 4 fases: prova escrita, prova de títulos para cargo específico, teste físico e por fim, psicológico.

Alguns requisitos básicos também são primordiais. Estar em dia com obrigações eleitorais e militares (no caso de candidatos do sexo masculino), CPF regularizado, ser brasileiro, aptidão física e mental, idade mínima e máxima (variam conforme os editais), habilitação categoria B e diploma de Ensino Superior Completo, desde que tenha relação com a profissão e seja reconhecido pelo MEC.

Viu só quantas diferenças? Aproveite e saiba mais sobre a função de um detetive particular ligando para (41) 92002-9207 Quem sabe não é a solução que você estava procurando?

Enviar mensagem
Olá
Podemos te ajudar?